DOENÇAS REUMATOLÓGICAS

OSTEOPOROSE

OSTEOPOROSE
 
A osteoporose é uma doença que atinge os ossos. Caracteriza-se quando a quantidade de massa óssea diminui substancialmente e desenvolve ossos ocos, finos e de extrema sensibilidade, mais sujeitos a fraturas. Faz parte do processo normal de envelhecimento e é mais comum em mulheres que em homens. A doença progride lentamente e raramente apresenta sintomas. Se não forem feitos exames pode passar despercebida.
 
SINTOMAS
A doença progride lentamente e RARAMENTE apresenta sintomas. Se não forem feitos exames sangüíneos e de massa óssea, é percebida apenas quando surgem as primeiras fraturas, acompanhadas de dores agudas. A osteoporose pode, também, provocar deformidades e reduzir a estatura do doente.
 
EPIDEMIOLOGIA
Estima-se que mundialmente 1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 5 homens acima da idade dos 50 tem osteoporose. Ela é responsável por milhões de fraturas anualmente, a maioria envolvendo vértebras lombares, quadril e pulso.
 
Quem se encontra em maior risco de desenvolver a doença são:
 
Mulheres;
Fumantes;
Consumidores de álcool ou café em excesso;
Pacientes com Diabetes;
Actividade física inadequada, quer em excesso, quer ausência.
 
PREVENÇÃO
Fazer exercícios físicos regularmente: os exercícios resistidos são os mais recomendados;
Dieta com alimentos ricos em cálcio (como leite e derivados), verduras (como brócolis e repolho), camarão, salmão e ostras.
A reposição hormonal do estrógeno em mulheres na menopausa consegue evitar a osteoporose
 
TRATAMENTO
Existem vários medicamentos que podem ser empregados no tratamento da osteoporose. Podemos citar o uso da reposição hormonal, bifosfonatos, suplementos contendo cálcio, vitamina D e calcitonina. A escolha do melhor esquema terapêutico deve ser feita pelo seu médico. Nunca use medicamentos sem a prescrição de seu médico.
 
Classes de medicamentos
 
 
Medicamentos utilizados para o tratamento da osteoporose:
Atualmente existem várias classes de medicamentos que podem ser empregados no tratamento . É muito importante que você não se esqueça que sempre deve usá-los com a orientação de seu médico.
 
Cálcio
Podem ser usados isoladamente na prevenção, ou associados a outros medicamentos para o tratamento da osteoporose.
A necessidade diária de cálcio é dependente das variações do metabolismo ósseo nas diversas fases da vida. Segundo a RDA- Recommend Diary Allowed- recomenda-se em torno de:
 
• 800 mg/dia para adultos e crianças
• 1200 mg/dia para adolescentes, gestantes e lactantes
• 1000 a 1500 mg/dia para mulheres na pós menopausa
 
Para indivíduos com intolerância ao leite e seus derivados, ou para aqueles que não
atingiram as necessidades diárias mínimas de cálcio com a dieta, deve-se indicar a
suplementação.
Existem vários tipos de sais de cálcio: carbonato de cálcio, citrato de cálcio, lactato de
cálcio, gluconato de cálcio etc.
 
Terapia de reposição hormonal- TRH
A queda na produção dos hormônios sexuais femininos está intimamente relacionado com o desenvolvimento da osteoporose, sendo indicada TRH na prevenção e tratamento da osteoporose. Traz como outros benefícios além de ósseos: a diminuição do risco da ocorrência de doenças cardio-vasculares e melhora dos sintomas da menopausa (ondas de calor, secura da pele e mucosas).
O útero (mais precisamente o endométrio) e o tecido mamário sofrem influência hormonal.
Antes e durante o tratamento com TRH, a paciente deve ser avaliada por um médico, para que sejam minimizados os riscos de desenvolvimento de doenças neoplásicas (câncer de mama e endométrio).
 
Vitamina D
O uso da vitamina D ou seus análogos tem como objetivo regularizar a absorção intestinal do cálcio, e assim promover a mineralização óssea.
 
Calcitonina
É um hormônio produzido pela tireóide, que atua como regulador do metabolismo ósseo.
Promove a diminuição da reabsorção óssea.
As calcitoninas também podem ser utilizadas em pacientes com dor óssea em decorrência de fraturas vertebrais. Isso é possível porque este medicamento possui ação analgésica.
 
Raloxifeno
É um modulador seletivo do receptor de estrógeno (SERM), que atua no tecido ósseo inibindo a reabsorção óssea. Não atua no tecido mamário e no útero, assim não é associado a hemorragias e sangramento uterino.
 
Ipriflavona
Derivado de plantas chamadas de flavonóides, seu mecanismo de ação não é completamente conhecido. Estudos indicam que este medicamento pode inibir a reabsorção óssea.
 
Bifosfonatos
Os bifosfonatos são medicamentos que inibem a reabsorção óssea e aumentam a massa óssea.
Estão indicados no tratamento da osteoporose e também na doença de Paget.
O alendronato sódico é um tipo de bifosfonato, que tem sua absorção prejudicada quando administrado com alimentos, leite e sucos. Deve, portanto, ser ingerido longe das refeições e sempre com um copo cheio de água.
Para que não ocorra esofagite, o paciente deve permanecer sentado ou em pé durante 30 a 60 minutos após o uso do medicamento.
 
Autor: Dr. Alex Magno Coelho Horimoto
 
Reumatologista / MS
 
Atenção: as informações contidas neste site têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. Em caso de dúvidas, o médico deverá ser consultado.
 
VOLTAR
CLINíCA ACTIVITé © 2016